Fique Ligado!

Conteúdo 2016

  • INSTRUÇÕES PARA ADAPTAR SEU FILHO NO CECÍLIA

     


    INSTRUÇÕES PARA ADAPTAR SEU FILHO NO CECÍLIA
    ADAPTAÇÃO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL
    O que Fazer?
    Controle de ansiedade e insegurança.
    A criança deve ser incentivada a ir à escola: a família deve falar disto com animação.
    É fundamental levar a criança para conhecer a escola antecipadamente e deixa-la se ambientar durante algum tempo, à vontade.
    É preciso tomar cuidado com as mensagens contraditórias (como por exemplo, oferecer recompensas pela ida à escola, trata-lo como “coitadinho” por estar tendo que acordar cedo para sair ou outros motivos quaisquer, etc…)
    Os pais precisam conseguir um tempo flexível para ficar na escola durante o processo, de acordo com a orientação da coordenação pedagógica. Havendo revezamento entre os pais, ou se precisarem contar com a ajuda de outra pessoa, ela deve ser muito familiar à criança e deverá estar a par das orientações da escola quando ao período de adaptação.
    Será preciso compreender que o choro na hora da separação é muito comum e que ele não significa necessariamente que a criança não queira ficar na escola.
    Da mesma forma, a ausência de choro muitas vezes também não quer dizer que ela não esteja sentindo a separação.
    Evitar comentário sobre as atitudes das crianças na sua frente.
    A criança deve ser levada caminhando e desta forma ser entregue à professora. É sempre mais difícil sair do colo de alguém conhecido.
    Mais adiante, será preciso incentivara criança a ficar na escola, dizes sinceramente que estão que estão indo embora e explicar quem virá busca-la. Desta forma, ela vai conseguindo ganhar confiança de que voltará normalmente para casa.
    ·         É preciso que procurem ser carinhosos, mais firmes, sem demonstrar dúvidas sobre s ela vai ficar bem.
    ·         Os pais devem despedir-se naturalmente e nunca sair escondidos. A criança fica muito desconfiada e insegura com esta atitude. (Não mentir)
    ·         As despedidas devem ser firmes e rápidas: um beijo, um aceno, ou simplesmente um “até breve”, pois desta forma, a criança percebe que os pais confiam nos profissionais e na escola.
    ·         Não deve ser esquecido jamais, em hipótese alguma, você poderá brincar com a criança dizendo que vai deixa-la ali, que não virá busca-la, mesmo que ela tenha feito algo a qual você considere horrível. A criança tem o pensamento concreto, ela não sabe relativizar ou encarar como uma ironia. Ela ficará muito insegura. (Você deve estar pensando que é óbvio, mas não imagina o quanto é comum esta frase!)
    ·         É muito importante, ainda, que os pais se lembrem de que cada criança é única, e que, assim, cada período de adaptação de coleguinhas ou irmãos.
    ·         Lembre-se que o educador atende às crianças em grupo, procurando distribuir sua atenção, igualmente, promovendo junto com a mãe a integração da criança.
    ·         Poderão ocorrer algumas regressões de comportamento durante o período de adaptação, assim como alguns sintomas psicossomáticos (febre, Vômitos e etc...).
    ·         Evitar muitas mudanças ao mesmo tempo. Fatos importantes, como retirada de fralda, abandono da chupeta, mudança ou reforma de casa, perda familiar, nascimento do irmão, contratação de nova babá, separação dos pais ou algo que impacte direta ou indiretamente a rotina dele, vão tornar qualquer adaptação muito mais complicada. Ou  seja, garanta que a principal mudança na vida do seu filho durante o período de adaptação seja mento na escola

    Estamos à disposição para dirimir quaisquer dúvidas.
    CONFIE EM NOSSOS PROFESSORES.
    NOSSA EQUIPE AMA O QUE FAZ.


    Joana Lage
    Diretora Educadora Social
  • Educandário Cecília Pinheiro - Designer Gráfico Victor Bittencourt©